THE LAST OF US 2 - PARTE 15 - pt/br

Publicado em 20 Jul 2020
Olá, Marilenes! Tudo bem com vocês? Estamos de volta para mais uma live de The Last of Us Parte 2! Depois de resgatar a ferida Yara no ultimo episódio, Octavio Neto segue com a Abby, pelo menos no início dessa live, para mais aventuras! Vem com a gente!

Comentários

  • Tenho a impressão que o Octávio desanimou desde o episódio retrasado. Brinca demais durante a gameplay. Ele fez mais de 30 episódios de Days Gone e jogou com seriedade, claro que tinha momentos de descontração, e por isso a experiência foi bem melhor. TLOU2 merecia mais.

  • Octávio o meu portátil mesmo que eu vou pegar vai ser o smach z dá stim é vou jogar nele os jogos do FIFA 20 eo fifa 21 eo PES 21 FF Garena Call of duty mobile eo The walking dead no Mans land The walking dead ons laught The evil within 2 pq eu tenho o PS 4 islin assim como o PS Vita mais vou trocar com um amigo meu o meu PS Vita pelo portátil smach z dá stim em fevereiro é no final do ano eu vou trocar o meu PS 4 islin pelo PS 5 pro no final do ano que vem

  • Joha naruto joha naruto 😭😢

  • Esse jogo está muito Maravilhosooooo muito bom

  • Lanterna não é detectável pelos inimigos!

  • Que jogo foi este estáva Bom demais final ver joga muito abraço Octávio Neto

  • Meu amigo que jogo é esse

  • Tô com a Ellie até o fim a Abby que se dane

    • @Luiz Carlos Ué, tá com tempo sobrando? Bora trabalhar, meu querido! hahahaha

    • Ainda bem que a Abby fica viva

    • #teamEllie TMJ!

  • Apartir de 16:44 pra quem já quer a game play

  • Quem gosta do canal deixa o like

  • Dessa vez mais atrasado que o normal mais cheguei

  • fala octavio beleza cara, meu vc ja viu esse cara jogando the last of us parte 2, confere ai no video, muito rapido e bom rsrsrs abraço parabens pelo trabalho brfund.info/too/video/vH-M15O-kaRltm4.html

  • Que jogo cansativo: Eu vi se foi bom de Pontaria

  • 45:54 Já era hora. Magrão às vezes é bem burrinho kkk

  • Tem um pessoal do chat durante as lives que, olha...força muito a barra. Gosto e opinião é subjetivo e nem precisa justificar. Mas, se for pra argumentar, não tem como fugir do fato de que TLOU2 não garante mesmo nível de storyline e empatia. De fato, é um mundo pós-apocalíptico onde a ética é utilitária, pragmática. Dissolve tudo em questões de praticidade e afetos. Mas comparar as storylines da Ellie e da Abby como iguais é sacanagem. É forçar demais a barra, tanto no desenvolvimento da persona, como nas escolhas de roteiro (caminhos, acertos e erros dos personagens, padrões transcendentais estéticos, etc.). Não dá, o peso da Ellie como personagem e como história leva a simpatizar completamente com ela e a desprezar ao mesmo tempo a Abby. Sendo também um mundo pós-apocalíptico como referência, certeza que uma galera ia ser pró-Ellie. É que é mais fácil, mais modinha comparar maçãs com laranjas e dizer que é "tudo a mesma coisa". Só forçando a barra. Não é a toa a chuvarada de review negativo que recebeu, e nem é pela agenda que existe no jogo. É porque a narrativa não funcionou, não adianta dizer pra "ter mente aberta" pra história meia boca de "vingança e perdão" quando um dos lados não é nivelado ao outro. Metacritic tá aí pra testemunhar isso e é só comparar com as notas dos usuários em Ghost of Tsushima pra perceber que o pessoal se importa SEMPRE com os elementos narrativos. Não interessa a agenda, desde que seja BOA a história e o desenvolvimento dos personagens. É como em filmes, literatura, arte... tem que ser bem feito. É só isso. Daí, quanto a preferências de valores, se gosta ou não das cenas e da orientação sexual, isso daí é outra discussão. Mas a história precisa ser BOA. As notas ruins são por causa disso: enredo. P.S.: sem esquecer que TLOU2 força demaaaais as mudanças dos personagens Joel, Ellie e Tommy referente ao TLOU, tornando-os completamente inconsequentes nessa oportunidade. P.S. 2: em 2:05:00, na sequência Abby fala pra Lev que ele é quem ela se importa. Quando alguém fala que Abby perdeu "tudo", lembre dessa parte e outras semelhantes, pois Abby é soldado, e seus parceiros são soldados, nada mais. WLF é só um meio pra ela fazer a vida dela mas não há relacionamento ali, seja de amizade ou de amor familiar ou romântico. Não há vínculo ali, exceto e talvez - no máximo! - uma amizade com Manny e um relacionamento mais enrolado do que certo com Owen. Ellie jamais diria isso pra algum desconhecido e esquecendo de onde veio e com quem esteve. Como dito: duas narrativas não niveladas.

    • @Mateus Fernandes Pois é, e é uma pena, porque o potencial era gigante. Eu entendo quem goste de TLOU2, no fim das contas temos nossas preferências. O problema é quando comparam narrativas, que são elementos objetivos, início, meio e fim... e reduzem sem critério pra questões de subjetividade (gosto pessoal). Por isso o meu comentário inicial. Ninguém é obrigado a gostar das mesmas coisas. Mas se for pra dar razões, sejamos honestos com ambos os jogos.

    • @Vitor Ávila é, eu na real joguei mesmo o primeiro ao ano passado, quando compre8 o ps4. Não passei por essa fase da propaganda então o jogo bateu diferente pra mim. Com certeza isso influi, ainda mais pra galera mais antiga que acompanha a franquia há 7 anos

    • @Mateus Fernandes Eu compreendo. Realmente, a edição também não ajudou, além da publicidade abusiva que, descaradamente, focou em Joel e Ellie e não foi nem isso nem no início do jogo (tipo prometer o Hulk em Guerra Infinita e Ultimato, o mesmo com o twitt do Druckmann que tinha o Joel num .gif promovendo a estreia), aí o backlash era inevitável. Talvez se iniciasse com a Abby e criasse um vínculo, fosse realmente uma história apelando pro lado pessoal dela, poderia assim ser mais interessante. Há um comentário em uma das gameplays do farfromsubtle, salvo engano (no último ep. da gameplay) que faz uma análise desse tipo pormenorizada. Creio que vários elementos não narrativos - alguns aí acima - culminaram para a má recepção. Porque há, querendo ou não, expectativa muito maior quanto ao enredo do que com a gameplay em si. De fato, são inegáveis as qualidades não-narrativas como você mencionou. De longe, imbatível e concordo plenamente. Não é um filme, correto. O problema é que o jogo é, em si, narrativo, e isso desde o primeiro jogo. Assim o gamer espera que a história direcione em certas expectativas e surpresas. TLOU tem seu "coração" na narrativa desde o diálogo de Joel, Sarah e Tommy. Não é simplesmente um jogo de caráter pós-apocalíptico. Há argumento ali e, assim, dilemas e decisões morais, desenvolvimento dos personagens, etc. Se fosse algo tipo Days Gone, aí tudo bem. Mas o que atrai o pessoal para jogar TLOU é muito mais a experiência do enredo que das partes não-narrativas. Por isso que eu seria a favor (como foi especulado pelo próprio Druckmann em podcast) de que TLOU2 fosse um open-world game. Abriria espaço para inúmeras narrativas, opções e explorações de outras perspectivas. A interação Joel-Ellie-Abby seria muito mais rica, complexa e intrincada. Quando já há uma narrativa estabelecida, porém, não dá para simplesmente ignorar características que já construiu, entende? É que nem - ironicamente - a citação do Joel referente ao Jurassic Park: o primeiro filme é ótimo por causa do argumento, aliado às qualidades cinematográficas. O segundo não segue no mesmo nível de argumento e não foi bem recepcionado, mesmo com todas as qualidades técnicas de edição, trilha sonora, cinematografia... analogamente, aconteceu o mesmo com TLOU2.

    • Acho que muito disso é por causa do 1. Temos um jogo inteiro com Ellie, conhecemos o Joel há mais de 20 anos. Acredito que a escolha por a Abby ser um personagem tão forte, uma "soldada", nao favoreceu pois fica mais difícil criar empatia com personagens de sentimentos de difícil acesso e exposição. Talvez se fosse pra isso seria melhor a Abby ser uma criança quando perde o pai, daeia mais apelo. A gameplay em si gostei mais da parte da Abby, achei mais fluida, mais prazerosa e com mais desafios. Porém, ainda assim, acho que as notas negativas foram exageradas levando em conta os gráficos, trilha sonora, dublagem, armas, jogabilidade e muitos outros elementos do jogo. A nota tem que ser um todo, nao apenas da historia(afinal é pra ser um jogo, nao um filme)

  • O lev é trans ❤🏳️‍🌈

  • Não tem mas transmissão ao vivo na tv não?

  • E the last of us 2 é um jogo maravilhoso boa gameplay, ai

  • Bom programa adoro e assisto todos sempre

  • Octávio muito pucha saco do time da Ellie a história dá Ellie ele aceita mais a da ebby ele ignora

    • @Luiz Carlos Uau, que cara produtivo! hahahah Que bom, cara! É uma questão de disciplina e controle do tempo, aí dá para aproveitar (no meu caso): BRfund, advocacia, mestrado e coisas da casa. :) Mas quanto a ausência de argumentos aí não há o que fazer, mesmo... boa sorte na próxima! ;)

    • @Vitor Ávila claro, até porque estou no trabalho, fazendo algo mais produtivo. ✌

    • @Luiz Carlos hahahah Imaginei que diria isso... muito previsível.

    • @Vitor Ávila tbm cara, vamos parar por aqui, nem li esse textão ai

    • @Luiz Carlos 1) Tanto faz pra você, pois, claramente os objetivos dos jogos são diferentes, logo, críticas diferentes. Isso aponta que você nem mesmo sabe o que é uma crítica. 2) Ele pode e deve criticar. O que eu digo é que você já apontou diferenças: no TLOU2, foi "imparcial por comentar depois". No F1 2020, ele já comentou de pronto. Isso aponta para o que eu digo: ele não iria criticar 1) o possível (agora dificilmente) game do ano assim de pronto; 2) não criticaria um jogo haja vista que recebeu exclusivamente da PS. Tudo isso confirma o que eu disse antes. Pedir "imparcialidade" pro Octávio quando ele já sabe no que vai dar é ingenuidade. Toda a crítica já é feita no primeiro contato com alguma cena ou ato do enredo. "Não falar nada" não indica imparcialidade. Indica somente cautela, nada mais.

  • Cara o geito que esse jogo traz uma reviravolta e muito surreal

    • @Fell Kaio 👁👄👁

    • O man a 40na ta afetando o seu portuques ai?